quarta-feira, 13 de abril de 2011

Amor que dói

As lágrimas rolam enquanto o coração se esfria.
Sem querer esquentar a alma,sem pulsar o precioso visco humano,
ele já não pode trabalhar.Vive a melancolia imposta,
não por um terceiro mas sim por seu próprio medo.
Medo de perder o que nunca lhe pertenceu,
medo de querer ir além dos limites seus,
medo de pertencer ao que nunca lhe fora dado por acréscimo.

As palavras surgem manchando o puríssimo branco papel,
derramando o amor em forma de dor,
Derramando o tom certo e esperado
ao sentimento machucado e infeliz que me assombra.

Mais uma vez o escuro me inunda.
Mais uma vez o coração se parte e já não se junta.
Mais uma vez eu grito por seu nome e só o eco responde.
Mais uma vez me perco no vale das lágrimas
sem encontrar tua mão disposta a me reerguer.

Enfim,Mais uma vez me encontro no vale sombrio
e sem sombra de dúvidas me encontro.
O que quero,ou penso querer,
Já se mistura e me confunde,deixando meu coração ainda mais amedrontado,
ameaçado e sem cor.
Enfim,Pobre coração.


Desculpe-me pela demora.Vivendo turbulências!
Enfim me reergui.Novamente.Sozinho sem ajuda!


By:Guh Lops