quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012



Tá. Eu sei que parece chatice e é bem idiota da minha parte, mas eu só vim aqui pra dizer que te amo muito e que a cada minuto que passa eu sinto ainda mais sua distância.


Eu vim mesmo pra dizer que essa saudade já tá me irritando e que eu sinto falta do seu cheiro doce, do seu cabelo molhado, do seu corpo suave como quem acaba de sair do banho. Sinto falta da tua cara de quem acabou de acordar e do gosto do spray de uva que você usava pra deixar teu beijo ainda mais gostoso. Eu sinto falta dos sonos mal dormidos à tarde, das tuas brincadeiras bobas, das nossas brigas que sempre terminavam em beijo e de te ver todo preocupado em arrumar a casa. Dos sustos que tomávamos quando ouvíamos passos e de te contar os meus segredos sem sequer pestanejar porque eu sempre soube que em você podia confiar.



Eu sinto falta porra!



Das tuas ligações canseiras, da tua cara de 'tô nem aí' quando eu tentava fazer ciúme, dos filmes agarradinhos que eu sempre sentia medo e até de ficar meio abandonado no MSN.



Enfim, você era eu e eu, sem dúvida alguma, era inteiramente você. Do respirar ao piscar dos olhos. Do transpirar ao cair da lágrima.



E, pra falar a verdade, tá muito difícil viver sem o meu tudo, sem minha razão.



Então, se puder, venha falar comigo. Coisa pouca. Coisa de um 'oi' , só pra eu ainda sentir o soar do timbre da tua voz aqui dentro e tentar me manter em pé, sem ter você pra me apoiar.



Mas vê se vem depressa porque dor de amor mata (e bem rápido). E eu juro que não queria morrer sem sequer sentir o toque da tua voz nos meus ouvidos ou sem saber se você ainda se lembra que eu simplesmente existo.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012