quinta-feira, 19 de janeiro de 2012


Acredito naquele que me amou mesmo quando eu já não me amava.Acredito naquele que,mesmo no alto do madeiro,me amou tanto ao ponto de deixar derramar sua última gota de sangue em meu nome.Acredito,simplesmente.

O amor os movia.Nada mais bastava até que a tal da confiança resolveu assombrar.Ele tinha medo de perder quem tanto lhe marcava o peito.Acho que por não saber dividir ele o perdeu.Perdeu aquele que fazias suas tardes,mesmo sonolentas,mais felizes,aquele que fazia de cada discussão o recomeço mais apaixonante.Porém ele sabia que se havia perdido,talvez por fraqueza ou medo,desânimo ou derrota,havia perdido pois o outro nunca lhe pertencera.


As vezes o impulso me move e,mesmo sem querer,por livre e espontânea pressão me repreendo e me arrependo.

Tenho medo de perder certas pessoas que marcam minha história .Porém sei que se as perco é porque nunca me pertenceram.Vivo as minhas experiências e busco aprender também nos meus erros.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012


Pensei que você seria mesmo só uma farsa, só mais uma mentira na minha vida. Mas, mesmo assim, eu quis que esse pensamento fosse embora e que você me fizesse mesmo feliz.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012


Que as lágrimas me lavem.Ou te manchem.
Eu juro que pedi.
Não foi uma,nem duas...'Ne me quitte pas'...
Você não escutou sequer o brado que ecoava do meu peito.
E foi embora.
Sem sequer avisar,sem sequer dizer 'adeus'.
Vivemos todos de momentos.Nosso momento foi quase perfeito,inocente e bobo.
Mas tudo que é bom se encerra não é?!
Então vai...
Viva feliz o seu Kalendis lanuariis.