quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Amor entre aspas e coração entre parentese. Será quando vão passar a acreditar no que realmente é verdade e parar de florir o que não existe?

Cruzando com você


O que é pra ser, é. Não vai adiantar você se enganar, muito menos eu dizer que já superei e que com esse ou aquele vai ser feliz. Não é assim. Não vai ser assim e nós sabemos muito bem disso. Você pode ir hoje, mas amanhã voltará. Ou eu vou atrás se assim preferir. E eu vou achar você onde quer que seja. Afinal, você vive dentro de mim sem ao menos saber.
Ouvi dizer da boca de terceiros que você, hoje, é mais feliz e esbanja sorrisos como outrora não acontecia. Eu me pergunto: Será mesmo que é tudo realmente sincero? Afinal,quem rotula felicidade abre peito à tristeza e nós sabemos que dentro daquelas quatro paredes a felicidade reinava. Eu sim conheci o sorriso sincero e o gozo de dias bem vividos ao seu lado.
O que sobra aos meus sucessores, o que resta de você é muito pouco. Tem mais de mim consigo do que comigo e vice-versa. E nós sabemos que suas manias nunca serão as mesmas sem os meus defeitos e erros, que seus beijos não serão os mesmos depois que eu parar de cobrar “mais emoção” e que seus dias não serão os mesmos quando eu parar de visitar o teu sorriso.
Mas é bom você ir. É bom experimentar de outros “licores” do que não o verdadeiro amor. Puro. Mas no fundo eu admito que,olhando assim, meio de lado, que não é tão bom assim. Você não é tão bom sem mim e eu,eu não existo sem você.