sábado, 9 de julho de 2011

insanidade


Quando você ama escrever e vê-se apagando nobres poesias saiba: Você está mais lúcido do que nunca!Vivemos para escrever a ilusão e não a nobreza!O que adianta ser nobre se não consigo sequer me iludir e dizer que amo?

Viver a nobreza se consiste em ser do outro e amar sendo o nada,o imperceptível. A maior coroa é um sorriso de quem se ama e o único reino que importa é o teu coração,no qual você faz democracia e ao mesmo tempo monarquia.Você manda e o outro também.

Seu sangue só será nobre quando você passar a doá-lo para salvar a vida de outras pessoas.Já disseram que eu não tenho nexo ao escrever e pra falar a verdade,não estou nenhum pouco preocupado com isso.Você me entende?Não.

Eu escrevo pra tentar tocar no teu coração.O que me adianta sofrer e sentir se eu não consigo expressar o que sinto?Frieza.

Escrevo mesmo porque gosto de brincar com as palavras.Sou criança bem pequena e você sabe disso.O infantil,o chato,o insuportável porém muito sensível.

Sempre pedi a Deus que me desse o dom de esconder a maturidade.Normalmente quando queremos mostrar que somos maduros,acabamos colocando uma máscara séria e acabamos esmagando os sentidos e as feições dos sentimentos em nós.

Amo sentir saudade,ao contrário de muitos.Saudade só se sente quando a pessoa realmente faz falta.É bom sentirmos que fazemos falta.Não existe quem não goste de ser paparicado,só existe quem finge muito bem.O que seria do mundo sem os atores não é?!

Já escrevi sobre amor,tristeza e vários outros temas porém o mais difícil é falar de mim mesmo.Meu espelho não me reflete bem.Odeio pensar que sou isso ou aquilo.Eu não sou nada.Me rotulo durante o tempo e por diversas estações.

Eu já não sei o que estou escrevendo mas sinto que tenho que continuar.Não está gostando do que lhe escrevo?Desculpe-me mais não era a intenção.

Dizia a alguns dias a uma amiga que agente só escuta aquilo que quer.Nunca queremos ouvir falar sobre os nossos defeitos e amamos os elogios.Esse é um dos nossos primeiros erros.Digo “nossos” pois eu também me incluo nessa lista.

Para mim,o pecado é aquilo que tua alma condena e tua cabeça acusa.Me encontro em tremendo equilíbrio quanto a isso.Só me acuso de uma coisa:não ter a coragem necessária para falar aquilo que me é imposto.Sim,imposto.Eu não escrevo por mim,ou longe disso,escrevo para poder retirar da cabeça minhas loucuras.Não escrevo para ser elogiado(apesar de também gostar dos elogios) mais escrevo para retirar um peso no qual carrego chamado idéia.

Não adianta eu me preparar para a vida sozinho.Preciso que mais gente se prepare comigo,afinal eu não gosto de viver isolado.Somos seres totalmente sociáveis não é?!

Tenho duas escolhas :postar esse texto ou deixá-lo por acabar,salvo em meu computador e só nele(rapidamente me esquecerei que ele existe).Enfim,minha vida também está por acabar.