quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

A mentirinha sobre ser o ultimo apelo

Pois é, mentira de amor vale como verdade?
Eu sei,seu moço, que eu prometi que não escreveria mais e que nem choraria.Não mais por você.
Mas é que hoje novamente bateu a ânsia de te querer bem perto de mim, naquele abraço dos dias chuvosos em que eu me recostava no seu peito e deixava a hora passar.
Enquanto os mil e tantos pingos se esgueiravam lá fora, nós nos amávamos aqui dentro, como se fossemos um só,juntos,colados e amando ser amados.
É assim que se sucede no tempo. Percas são necessárias mas, quem disse que eu queria ou até mesmo podia ter te perdido?
Eu tenho necessidade de você, como nos dias em que, como hoje o tempo resolvia se enfurecer e que, dentro do quarto, abraçados, era pura calmaria.
Eu menti sobre o ultimo apelo. Eu não consegui terminar naquele sabe?
Amanhã eu estou indo passar uma temporada fora só pra ver se eu consigo te colocar pra fora.
Pode ser tarde demais quando você se tocar do que eu realmente senti mas, se der saudade me liga.O número é o mesmo e a necessidade de você também será.
Eu ainda calculo muita coisa sobre a probabilidade que teríamos em dar certo. Eu sei,parece loucura mas, você se assustaria se soubesse o quanto eu ainda penso, ainda lembro, de cada detalhe e palavra. Mesmo depois de três meses, é como se fosse ontem sabe?
E o que mais me surpreende e me deixa perplexo é a sua capacidade de me deixar mutável, em constante desalinho, como você muda o meu humor e o meu modo de pensar, mesmo estando a quilômetros de mim.
Ainda penso em nós. Estranho,não?Ainda penso em largar tudo,jogar tudo pro ar e correr pra te encontrar.
Mas eu paro e penso "Ele já não existe do mesmo modo,no mesmo lugar."




Nenhum comentário:

Postar um comentário